Aqui na L2 Capital, estamos sempre buscando oportunidades de investimento que estão fora do radar dos grandes bancos e corretoras. Acreditamos ter encontrado mais uma.

Estamos falando da Magnesita (MAGG3), uma empresa que basicamente opera com mineração e refratários. Ela possui a maior e mais rentável mina de magnesita do mundo (Brumado, BA) e está presente em mais de 100 países e em todos os continentes.

Como um player global, as vendas da Magnesita passam dos US$ 1,2 bilhão, sendo que cerca de 25% provém do Brasil. Não vamos nos delongar na explicação, já que a empresa é razoavelmente conhecida e qualquer um pode ter acesso às informações gerais através do seu website (ri.magnesita.com).

A oportunidade que estamos vislumbrando é a mudança da sede da empresa do Brasil para a Inglaterra (Londres). Como apenas 25% da receita é gerada aqui, a Magnesita acaba sendo “penalizada” pelos investidores por estar no Brasil, ou seja, tem menos visibilidade para novos e grandes investidores e maior custo da dívida.

Achamos que, com a mudança de sede para Londres, a empresa ganhará os dois: maior visibilidade e menor custo da dívida, o que acarretará certamente em um maior valor de mercado (ações a um preço maior).

Uma vez em Londres, a empresa poderá acessar o mercado de capital internacional e emitir dívida a um custo menor. Com essa nova dívida, a empresa poderá recomprar sua dívida antiga, de custo maior, e colocar no bolso a diferença.

Além do mais, se olharmos para o resultado do primeiro trimestre da empresa (lucro pouco acima de R$80 milhões) e assumirmos que a empresa poderá mantê-lo nos próximos 3 trimestres do ano, estamos falando em um lucro líquido acima de R$320 milhões. Mas vamos ser um pouco mais conservadores (porque, como sabemos, o primeiro trimestre é mais lucrativo para a empresa devido ao mercado de cimento e suas melhores margens) e assumir que o lucro seja de apenas R$250 milhões. Estamos falando em um P/L (Preço/Lucro) abaixo de 3!!! Isso, para uma empresa com praticamente reserva de mercado!!!

Por fim, uma vez em Londres, a empresa será comparada com as suas peers, ou seja, Vesuvius e Rhinebeck – e ambas carregam múltiplos substancialmente maiores que os múltiplos do setor de siderurgia. Aqui, a Magnesita é comparada à Usiminas, CSN e Gerdau. Lá fora ela terá seus próprios peers, com um risco de negócio razoavelmente menor e, portanto, valores maiores para as ações.

A Dívida Líquida/EBITDA da Vesuvius está em 1,8x, a da RHI está em cerca de 2,9x e a da Magnesita, ao final desse ano, deve chegar a 3,8x. Assim que a dívida for diminuindo, acreditamos que o mercado precificará as ações de acordo. Não esperamos uma mudança radical imediata, mas é uma excelente aposta com risco x retorno bem favorável para o médio- prazo.

 

 

Comentários

    José Maria Meireles Junqueira.
    24 de May de 2016

    Obrigado pelas informações oportunas e coerentes. Gostaria que informasse algumas empresas que comercializam ouro físico.

    0
    0

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios
Pesquisar
Publicações Recentes
Sem categoria

Energia Limpa, sim senhor!

Essa semana fomos surpreendidos por temperaturas muito abaixo do normal até mesmo para essa época do ano em várias regiões dos EUA, com destaque para

Continuar lendo

Contato

Brasil
Vila da Serra, Nova Lima - MG
CEP: 34.006-059

Dev by

É recomendada ao investidor a leitura cuidadosa do prospecto e do regulamento ao aplicar os seus recursos. A L2 Capital Partners não comercializa cotas de fundos e/ou clubes de investimento ou qualquer ativo financeiro. Conheça nossa Política de Voto.